terça-feira, 25 de maio de 2010

Vamos ao que interessa

Este post é para responder às perguntas da Cátia, e como não sei como responder só para ela, e quem sabe também não seja útil para mais alguém, colocarei aqui mesmo.
O terreno é de um empreendimento chamado Residencial Ibiza aqui em Gravataí, organizado pela empresa Consplan Empreendimento Imobiliários, não chega a ser um loteamento fechado, mas pagamos uma pequena mensalidade para manter a vigilância e também contribuir para a Associação de Moradores do Loteamento. Eu comprei direto deles, sem burocracia alguma, apenas dei uma entrada e estava pagando uma parcela mensalmente.
Como eu já tinha o terreno (estava pagando ainda) procurei uma arquiteta, fiz uma planta, do meu jeito, cheguei a dar entrada na prefeitura, e fui atrás de construtoras, porque ir atrás de pedreiro, ficar vistoriando, tendo que sair para comprar desde prego até fossa, não é comigo, pois não tenho tempo. Chegando na construtora descobri que meu projeto era totalmente inviável financeiramente, ultrapassava totalmente o orçamento, resultado, pagar outra planta, novamente taxas na prefeitura e me adequar ao que eu poderia pagar (a planta vou colocar em post futuro). Fiz tudo novamente com assessoria da construtora, que se eles merecerem eu dou os créditos no futuro. Eles me indicaram uma despachante (que foi a melhor coisa que fiz, pois a quantidade de papel que tem que se correr atrás para conseguir financiamento é infindável, e em parte me livrei dessa correria). A nova planta foi feita pela arquiteta deles que já encaminhou para a prefeitura, depois só esperei pelas aprovações, tanto da prefeitura, e depois da Caixa (a quitação do terreno entrou no financiamento). Tudo ok.
Descobri que ao assinar o contrato na Caixa, os primeiros quatro meses eu só pago juros, ficando um valor bem abaixo da prestação real.
Ontem peguei a escritura, que maravilha ver meu nome lá.
Vou parar por aqui, pois já está virando um livro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário